como reduzir custos fixos

Uma boa gestão financeira é fundamental para que qualquer empresa tenha suas contas equilibradas no final e alcance bons resultados. Há quem acredite que, para dar mais lucro, um negócio precise aumentar as vendas — em parte, isso pode até funcionar, mas a melhor maneira de crescer os lucros de uma empresa é com a redução de custos.

Neste post, vamos mostrar aos gestores financeiros como reduzir custos fixos de um empreendimento com práticas simples, porém efetivas. Acompanhe a leitura!


Quais são os custos fixos de uma empresa?

Todo negócio tem dois tipos de custos: os variáveis e os fixos. Os primeiros são aqueles que estão ligados à atividade comercial, como inventário e comissão de vendedores, por exemplo, já que esses valores mudam de acordo com o aumento ou diminuição das vendas.

Os custos fixos, por sua vez, não variam muito, independentemente da quantidade de produtos vendidos. Alguns exemplos são salários, publicidade, aluguel, conta de energia, seguros etc. A redução desses valores é muito importante para o crescimento de um negócio, afinal, por mais que uma empresa venda muito, ela não será lucrativa se os custos forem quase iguais ao valor arrecadado.

A seguir, traremos algumas práticas que vão ajudar você na diminuição desses custos. Veja!

Como reduzir custos fixos?

É claro que reduzir os custos variáveis também é uma tática válida para o aumento do lucro. Qualquer empresário deve negociar descontos com fornecedores, por exemplo. Entretanto, essas negociações podem ser temporárias ou significar pouco quando comparadas a todos os custos de um negócio.

A redução de custos fixos, por outro lado, é uma medida permanente, que vai impactar as contas positivamente todos os meses. Saiba como fazer isso.

1. Conheça a sua empresa

Quem quer saber como reduzir custos fixos de uma instituição deve, primeiramente, conhecê-la. Ao entender a estrutura do negócio e fazer uma análise financeira detalhada, é possível saber quais são os custos que precisam ser reduzidos e que podem ser diminuídos sem prejudicar a operação.

Assim, o empresário evita tomar decisões precipitadas ou cortes desnecessários, que podem ser prejudiciais no futuro. As estratégias traçadas com base em dados são muito mais assertivas.

2. Venda em marketplace

Os marketplaces são excelentes opções para quem tem um negócio online e precisa vender mais. As plataformas já prontas contam com todos os recursos necessários e os custos para começar são muito menores do que o investimento em uma loja online própria.

Além disso, os marketplaces oferecem diversas outras vantagens, como credibilidade, suporte, mais visibilidade e competitividade, principalmente para pequenos e médios lojistas.

3. Terceirize processos

A terceirização de alguns processos é uma forma eficaz de reduzir custos fixos de um negócio, afinal, ter um funcionário custa caro e envolve ainda outras responsabilidades. Além disso, o custo só existirá quando o serviço for necessário.

Para empreendimentos online, por exemplo, podem ser terceirizados serviços de entregas, produção de conteúdo para o site ou blog, gestão de redes sociais e anúncios e até a limpeza do ambiente de trabalho.

4. Economize nas contas

A conta de energia é um grande custo, ainda mais quando ar-condicionado, computadores e lâmpadas estão constantemente funcionando. Sabemos que é impossível trabalhar sem gastar energia, mas a adoção de alguns hábitos ajuda a diminuir o valor gasto com essa conta no final do mês.

Quem trabalha de dia, por exemplo, tem a possibilidade de deixar as cortinas abertas para aproveitar a luz do sol. Em lugares menos quentes, o ar-condicionado pode ser trocado por ventiladores ou até pela ventilação natural. Os computadores devem ser desligados quando não estiverem sendo utilizados, assim como as lâmpadas, que podem ser substituídas por opções de LED e ativadas por meio de sensores de presença.

5. Faça o controle do estoque

Empresas que têm gasto permanente com estoque e querem saber como reduzir custos fixos devem fazer um balanço. Essa é a melhor forma de descobrir o que está encalhado e o que realmente precisa ser reposto. A gestão do estoque é uma aliada da redução de custos. 

Além disso, se você tem um galpão e ele está ocioso, é hora de repensá-lo. Talvez um espaço menor seja suficiente — e, se for possível, por que não armazenar as mercadorias em casa?

6. Tenha o regime tributário adequado

O sistema tributário no Brasil é muito complexo e pode ser confuso para quem não domina a área. Para garantir que a instituição não está pagando taxas desnecessárias e que o regime tributário escolhido é a melhor opção, é muito importante fazer uma análise financeira e, se for preciso, contar com a ajuda de um profissional especializado. 

Empresas que não sabem exatamente qual o melhor enquadramento para o seu caso acabam gastando mais dinheiro com impostos — ou, em alguns casos, pagando menos do que deveriam, o que pode gerar contingências fiscais no futuro.

7. Adote o Orçamento Base Zero

Essa metodologia projeta as receitas, despesas e custos de uma entidade sem considerar os exercícios anteriores. A sua principal diferença para os orçamentos tradicionais é que ela não considera a média das despesas dos últimos anos e, com isso, analisa separadamente cada centro de custo.

A técnica permite que os gestores tenham mais controle sobre os gastos da organização e consigam eliminar folgas no orçamento. Além disso, facilita a criação de elementos concretos para a avaliação nos períodos seguintes.

Por que reduzir custos sem alterar a qualidade?

Quem deseja saber como cortar custos fixos também precisa ter em mente que, para fazer isso, é necessário se atentar à qualidade dos produtos ou serviços oferecidos, que não deve ser prejudicada.

Afinal, caso a qualidade seja prejudicada, de nada adiantará economizar com os custos e perder consideravelmente a quantidade de clientes. Além disso, consumidores insatisfeitos podem prejudicar a imagem da marca perante o mercado.

Agora que você já sabe como reduzir custos fixos na sua empresa, fique atento às dividas — o pagamento das parcelas também é um custo que deve ser gerenciado. Se ainda tem dúvidas sobre como ter acesso a crédito sem prejudicar a saúde financeira do seu negócio, baixe o nosso Guia do Empréstimo para Capital de Giro e tome essa decisão sem medo!

Dúvidas ou comentários? Compartilhe conosco no campo abaixo!

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui