erros ao abrir uma empresa

A decisão de começar um negócio próprio é um grande marco na vida de qualquer pessoa. Seja para aproveitar uma grande oportunidade, seja pela necessidade de conseguir uma nova fonte de renda, essa é uma das melhores formas de alcançar a tão desejada independência financeira. No entanto, existem alguns erros ao abrir uma empresa.

Eles são muito cometidos especialmente entre os novos empreendedores. Embora alguns possam até ser contornados com o tempo, muitos deles são decisivos para determinar as chances de sucesso na jornada como gestor.

Conheça agora os 6 principais erros que você não pode cometer ao começar seu negócio!

1. Deixar de desenvolver um plano de negócios

Se já pensou em todos os detalhes sobre o funcionamento da sua empresa, é fundamental colocar tudo isso no papel. Afinal, quando registramos as diretrizes do negócio de forma clara, fica mais fácil tomar decisões e enfrentar os desafios que são inevitáveis para qualquer empresário.

Apesar de muitos negligenciarem esse cuidado, desenvolver um plano de negócio para dar início à empresa é mais fácil do que pode parecer. É possível começar definindo seu conceito geral, como os produtos ou serviços que serão oferecidos e qual será o público-alvo.

Feito isso, estabeleça quais serão as metas organizacionais, bem como objetivos de curto e médio prazo. Faça também uma estimativa dos recursos materiais e financeiros que serão necessários para garantir as operações sem grandes surpresas.

Assim, você consegue elaborar um plano de negócios que servirá de orientação para colocar a nova empresa no rumo do crescimento.

2. Não analisar a concorrência

Ao abrir uma empresa, é bem provável que você não esteja sozinho no ramo que escolheu para atuar. Por isso, é fundamental fazer uma análise aprofundada sobre os concorrentes de mercado antes mesmo de dar início às atividades.

Para não cair nesse erro, faça uma pesquisa a fim de verificar quantas empresas semelhantes à sua existem na mesma localidade e em regiões próximas (isso no caso de lojas físicas). Como é provável que esses sejam os principais concorrentes, você pode começar tomando como base as características de tais empreendimentos, analisando os pontos fortes e fracos.

Esse cuidado vale também no caso de lojas virtuais, já que a concorrência costuma ser ainda mais acirrada. Sem ter um panorama a respeito desse desafio, o gestor dificilmente conseguirá oferecer atrativos e competir pela mesma base de clientes.

3. Não analisar o mercado consumidor

Além de conhecer bem a concorrência, o perfil dos potenciais clientes também é algo que um empreendedor precisa ter em mente para aumentar as chances de sucesso do negócio. Isso ajuda a entender como a empresa deve se posicionar perante os consumidores e a elaborar estratégias mais eficazes para conseguir mais vendas.

Um dos principais erros nessa hora é deixar de segmentar o público, imaginando que todos os tipos de pessoas podem se tornar seus clientes. Especialmente se a empresa atua em um mercado de nicho, direcionar os esforços para captar a parcela certa dos consumidores é indispensável para não ter problemas com baixos faturamentos.

Em muitos casos, ainda que você tenha à disposição aquilo que as pessoas procuram, uma falta de sintonia entre as partes pode ser o suficiente para fazer consumidores desistirem do negócio ou procurarem por outro vendedor.

Conhecendo a fundo as características do consumidor, você saberá qual postura o público espera da empresa e como oferecer algo inovador e que seja realmente interessante para ele.

4. Abrir a empresa sem ter capital de giro

O capital de giro é a reserva de recursos que toda empresa deve ter para cumprir com suas obrigações financeiras e manter tudo funcionando dentro da normalidade.

Ou seja, esse é o dinheiro que deve existir no caixa para pagar despesas como contas de consumo, pagamento de fornecedores, custos logísticos, salários. Também envolve a cobertura de situações inesperadas, como alguma necessidade de manutenção ou gastos extraordinários.

Quem inicia as atividades sem essa provisão corre grande risco de enfrentar sérios problemas no equilíbrio das contas, já que fica vulnerável caso algo fora do esperado aconteça. Há também casos em que o empresário erra no cálculo e acaba reservando um valor inferior ao necessário para garantir uma operação financeiramente saudável.

Vale também lembrar que misturar as finanças pessoais com as da empresa é um erro que todo empresário deve evitar, sob o risco de comprometer tanto o orçamento do negócio quanto o próprio bolso. Por isso, o ideal é reservar uma quantia para fluxo de caixa e utilizá-la exclusivamente para esse fim.

5. Precificar de forma inadequada

Outro problema que pode refletir diretamente no caixa da empresa é a precificação inadequada dos produtos e serviços. Quando isso acontece, torna-se comum chegar ao fim do mês com resultados negativos mesmo quando o volume de vendas foi satisfatório.

Na expectativa de atrair consumidores, é comum que alguns novos gestores pratiquem preços que acabam se mostrando insuficientes para cobrir os custos de operação e garantir a margem de lucro. A grande verdade é que a correta precificação envolve vários fatores que vão desde o investimento realizado no negócio até o público-alvo.

Para lidar com todas essas variáveis, existem algumas fórmulas e conceitos que ajudam bastante nessa tarefa. Aprender mais sobre esse assunto ou então contar com o auxílio de um contador são ótimas maneiras de definir os preços certos para sua loja física ou em marketplace.

6. Ignorar a legislação vigente

Quem quer abrir uma empresa precisa lidar também com uma série de obrigações legais. Como as exigências variam de acordo com a natureza de cada negócio, é preciso atenção para descobrir quais normas devem ser observadas em cada caso.

O cuidado mais importante nessa hora é definir a natureza jurídica da nova empresa, pois isso determina a forma como ela será estruturada, as responsabilidades do gestor e o regime tributário a que estará sujeita.

É fundamental que essa escolha seja feita com muito planejamento e, se necessário, auxílio jurídico. Afinal, um enquadramento inadequado pode prejudicar ou mesmo inviabilizar as atividades.

Se a ideia é administrar em sociedade, preste atenção também ao tipo societário que é necessário para estabelecer o papel de cada parte na gestão da empresa. Para não ter problemas com as fiscalizações, procure a prefeitura de onde a empresa se estabelecerá e descubra como conseguir as permissões e os alvarás necessários para atuar de forma regular.

Para ter todas as garantias jurídicas também na loja virtual, conhecer e seguir a lei do e-commerce é indispensável. Essa é a legislação que regula as negociações online, resguardando os direitos tanto das empresas quanto dos consumidores. Na dúvida, o ideal é ter uma cópia do Código de Defesa do Consumidor sempre à mão para auxiliá-lo em qualquer situação.

Fuja dos erros ao abrir uma empresa

Se você já decidiu que seu próximo objetivo é abrir o próprio negócio, saiba que está prestes a entrar na etapa mais importante da sua vida profissional. Para iniciar com o pé direito, evitar as situações que citamos é um excelente começo.

Descuidar desses erros ao abrir uma empresa pode dificultar muito a vida do gestor, pois os problemas gerados acabam criando uma verdadeira bola de neve, podendo resultar em prejuízos e até falência.

No entanto, gestores que adotam as melhores práticas de administração têm mais possibilidades de alcançar o sucesso nos negócios. Quer saber o que fazer quando isso acontecer? Então confira agora as dicas deste artigo!

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui