Primeiro e-commerce: 7 pontos essenciais para você começar!

primeiro e-commerce dicas essenciais

Se você tem uma veia empreendedora e busca realizar negócios na internet, abrir o primeiro e-commerce pode ser uma boa ideia. Afinal, o meio digital equilibrou as oportunidades entre os grandes e pequenos comerciantes, permitindo que todos tenham acesso ao mercado.

Porém, é preciso ter estratégias e ficar atento aos detalhes para ter sucesso. Por isso, preparamos este artigo que trata dos benefícios de abrir um e-commerce, se é a hora certa e os principais pontos a se considerar!


Quais as vantagens em abrir um e-commerce?

Quando alguém abre uma loja virtual em vez de física, não precisa se preocupar em ter um capital inicial muito grande, pois o aluguel do espaço, a compra da mobília e dos equipamentos eletrônicos e o pagamento pelos serviços de decoração não serão necessários.

Se trabalha sozinho, também pode ser classificado como microempreendedor individual (MEI), o que torna o processo de emissão do CNPJ muito mais simples. Além disso, a marca, produtos e serviços ganham exposição abrangente, visto que a internet não tem fronteiras.

Como saber se essa é a hora certa de abrir um e-commerce?

Segundo os dados selecionados pelo Olist, o e-commerce brasileiro segue em expansão, mas ainda tem muito espaço para crescer, já que novos nichos surgem a todo instante.

Além do mercado estar favorável, outros fatores podem indicar o momento certo para embarcar nessa nova jornada. Entre eles estão a necessidade de crescer como profissional, o sonho de ser dono do próprio negócio e a busca por novos desafios.

No mercado, existem muitas histórias de sucesso que podem inspirar. Por isso, baseie-se nelas para se motivar e construir a sua!

O que considerar ao abrir o primeiro e-commerce?

Agora que você já conhece as vantagens de abrir uma loja virtual e sabe como identificar o momento propício, veja abaixo 7 pontos essenciais decisivos para o sucesso do negócio!

1. Encontre o nicho de atuação

Descubra quais segmentos registram as maiores vendas online e estude-os. O objetivo é encontrar grupos menores dentro desses segmentos que não têm a demanda adequadamente atendida. Isso se chama subsegmentação e pode ajudar você a se tornar líder de uma fatia de mercado menor, porém mais exclusiva.

Por exemplo: se vai vender celulares, pode focar na venda de uma marca e modelo específico, entregando os dispositivos com aplicativos de utilidade já instalados, como Whatsapp, iFood e Uber.

2. Faça um bom plano de negócios

Após escolher o segmento de atuação e encontrar um bom nicho de mercado, é importante fazer um plano de negócios.

Nele, é preciso detalhar o capital necessário para realizar o investimento inicial e elaborar as estratégias de atendimento, as táticas de marketing e venda. Além disso, é importante definir como será a gestão do fluxo de caixa e quais diferenciais pretende desenvolver.

Outra ação decisiva é calcular uma perspectiva de retorno para saber se o empreendimento é economicamente viável antes de montar o e-commerce. Cada etapa do plano envolve estudos profundos sobre a empresa e o mercado para que as projeções sejam as mais realistas possíveis.

3. Avalie os meios de pagamento

As ferramentas de pagamento representam uma das funcionalidades mais importantes para os sites de vendas, pois elas permitem que o usuário conclua a compra. O primeiro objetivo aqui é passar a sensação de segurança usando modelos que insiram selos de garantia de privacidade dos dados na página de pagamento.

O segundo passo é avaliar a simplicidade do processo. Seja no boleto ou no cartão de crédito, você deve facilitar os pagamentos ao máximo para não gerar abandono de carrinho. Aliás, descontos e abatimentos devem aparecer nessa página para motivar ainda mais o consumidor a efetuar a compra.

4. Estude bem os fornecedores

Contar com o fornecedor certo também é crucial para ter sucesso em vendas online. Afinal, ele é quem vai ajudar a construir a imagem de mercado. Como o lojista precisa entregar o que promete dentro do prazo estabelecido, ter o produto ou serviço a pronta-entrega será muito importante.

O fornecedor também deve oferecer condições de pagamento atrativas, produtos de qualidade reconhecida e entregas sem erros e/ou avarias. O ideal é que ele atue mais como um parceiro do negócio do que como um simples distribuidor.

5. Planeje a operacionalidade

Adotar procedimentos em cada etapa do empreendimento é uma forma de agregar organização aos processos e garantir um fluxo de trabalho contínuo. Metodologias bem definidas ajudam a elevar o grau de eficiência e eliminar erros simples, gerando maior produtividade com qualidade.

Então, monte o e-commerce como um quebra-cabeças, no qual todas as peças (etapas) se encaixam e se complementam. Por exemplo: após a compra do cliente, quais serão os próximos passos? Você ou o fornecedor fará a entrega? Pense nisso, pois são etapas que devem ser muito bem planejadas para evitar erros.

6. Escolha a hospedagem

Com a elaboração de um bom plano de negócios, é hora de partir para a prática. A montagem do e-commerce depende inicialmente de um provedor de hospedagem. A maioria deles inclui o domínio do site no plano. Então, escolha o nome da loja virtual e o transforme em “.com”.

Depois, é hora de montar as páginas. Essa etapa deve ser feita com muito cuidado, já que a disposição correta dos elementos (textos, imagens, vídeos e botões) é o que vai contribuir para prender a atenção dos visitantes. Para isso, escolha um layout “clean” (visualmente simples e bem organizado) e com as cores da marca.

7. Use os canais de venda

Deixamos o mais importante para o final. A própria loja virtual é um canal de vendas online. Mas só isso não basta, ela precisa ser vista pelo público, e nada melhor do que participar de uma boa plataforma de marketplace.

Com planos bem acessíveis, os produtos e serviços podem aparecer em grandes e-commerces brasileiros, como Submarino, Casas Bahia, Americanas, Carrefour, Extra, Amazon, Shoptime etc. tendo grande e rápida visibilidade. Esse investimento é mais otimizado, pois engloba estratégias de marketing e de vendas em apenas um plano. Entenda como o Olist pode facilitar esse processo.

Como contar com uma ótima estrutura?

Por fim, você deve pensar na estrutura como um todo. Os fornecedores de produtos, de hospedagem online e todos os outros serviços contratados devem trabalhar alinhado com o negócio para garantir conformidade operacional.

Uma alta taxa de disponibilidade — sem falhas recorrentes — e um bom alinhamento estratégico devem ajudar na formação de uma estrutura mais sólida e confiável para o e-commerce.

Abrir o primeiro e-commerce pode ser algo complexo no início. Porém, diante das oportunidades existentes, ao seguir nossas orientações, você terá maiores chances de se destacar no segmento de atuação e de alcançar o sucesso que tanto busca.

Quer saber mais sobre o assunto? Leia agora sobre os melhores modelos de embalagens para e-commerce e suas regras!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *