Begin typing your search above and press return to search. Press Esc to cancel.

6 dicas de redução de custos no e-commerce para colocar em prática


6 dicas de redução de custos no e-commerce para colocar em práticaO comércio eletrônico é um modelo de negócios mais acessível em comparação às lojas físicas, mas também promove forte concorrência à medida que mais vendedores entram no mercado. A redução de custos no e-commerce é crucial para varejistas que desejam permanecer relevantes e lucrativos diante da concorrência, tudo sem interferir na qualidade dos produtos/serviços que oferecem.

O gerenciamento de custos, portanto, torna-se uma grande parte da estratégia de negócios dos varejistas online que almejam o sucesso. Por isso, listamos algumas dicas testadas e comprovadas para otimizar a operação. Confira!


Por que o gerenciamento de custo é importante?

Existem duas coisas que toda empresa deseja: aumentar as vendas e reduzir custos. Esse é o equilíbrio que as companhias deveriam buscar. Porém, algumas dão maior importância para as vendas e esquecem de “arrumar a casa”.

Temos então um grande problema, pois se a empresa não administra as despesas, elas vão, eventualmente, aumentar. Como consequência, você precisa vender mais para manter o lucro e, ao fazer isso, você acaba inflando os custos. Esse é um ciclo vicioso que limita ou impede o crescimento.

O mercado virtual está bastante maduro e, segundo a ABComm, deve apresentar um aumento de 18% no faturamento em 2020, com mais de R$ 100 bilhões de receita. Vender pela internet é econômico e escalável, mas o volume de novos lojistas elevou alguns custos, principalmente de anúncios.

Diferente de um ponto físico, se você não investe em divulgação, o site jamais será encontrado. Podemos ver o dilema enfrentado pelos e-commerces: os gastos com divulgação são necessários, mas esse investimento torna o produto mais caro — menos competitivo.

A única saída é reduzir os custos operacionais. A vantagem é que essa variável que depende apenas de você. Assim como diz o mega empreendedor Beto Sicupira: “Custo é igual unha, tem que cortar sempre”.

Como reduzir custos em lojas virtuais?

Uma empresa lucrativa depende do equilíbrio saudável entre vendas e despesas. Descubra boas práticas a seguir.

1. Custos de compra ou produção

Esse é o item mais básico e de maior impacto no planejamento. Se você for fabricante, a meta é analisar e otimizar cada detalhe da operação, desde a compra dos insumos até a logística. Caso seja revendedor, o poder de negociação com fornecedores fará muita diferença no custo final. Nessa operação, é importante agregar algum valor aos produtos, e não apenas competir por preço.

Os dois principais pontos de interesse dos fornecedores são tempo de pagamento e tamanho do pedido. Se você oferecer um bom negócio, é provável que consiga um preço melhor. Lembre-se de considerar os custos de estoque, como desvalorização de produtos e armazenamento.

2. Devoluções

Uma das regras do comércio é: mantenha os produtos nas mãos dos clientes e os lucros nas suas. Uma devolução não é apenas uma venda cancelada. Provavelmente, você pagará o custo do frete, além dos prejuízos com papel, fitas e embalagem. Para diminuir o volume de devoluções, revise os seguintes pontos.

Utilize boas fotos e descrições

Adicione várias fotos (de qualidade) para que os compradores tenham uma ideia mais precisa do produto. Os vídeos podem ajudar ainda mais. Invista em descrições com textos e imagens detalhadas para sanar todas as dúvidas.

Aumente o prazo para devoluções

Embora pareça contraintuitivo, aumentar o prazo também pode reduzir as taxas de devolução. Quanto mais tempo o cliente “possuir” o produto, mais forte é o apego a ele. Maiores prazos aliviam a pressão de devolver o produto rapidamente, assim, os clientes têm mais tempo para mudar de ideia e manter a compra.

3. Taxas da plataforma

Existem inúmeras opções de hospedagem e plataformas para vender produtos. Use o tempo necessário para estudar cada uma delas, observe as taxas para pagamentos (cartão de crédito e boleto). Algumas empresas também cobram royalties sobre o faturamento.

Prefira sistemas com um bom suporte e diferentes ferramentas de análise, marketing, frete e pagamento. A última coisa que você deseja é ter o site fora do ar ou com erros. Para driblar esses custos, muitas companhias preferem investir em grandes marketplaces, que já oferecem toda estrutura necessária, além do contínuo tráfego de usuários.

4. Marketing com eficiência

Como uma empresa de comércio eletrônico, você deseja aproveitar um dos pontos fortes naturais: o fato de estar online. A canalização do orçamento de marketing para os métodos digitais é claramente a melhor opção, mas você ainda precisa saber quais os melhores caminhos.

O cálculo do retorno do investimento (ROI) de cada uma das campanhas determina as melhores maneiras de gastar o dinheiro, sem adivinhações. Aqui está a fórmula básica:

lucro líquido do investimento ÷ investimento total x 100

A partir daí, compare as porcentagens de ROI e aloque mais dinheiro para os de alto desempenho. Lembre-se de que alguns canais levam mais tempo para gerar lucro do que outros, mas, em geral, esse é um ótimo método para comparar campanhas em igualdade de condições.

5. Fidelize os clientes

É muito mais barato vender para os atuais clientes do que conquistar novos. Além de promoções personalizadas, tenha produtos complementares. Por exemplo, se você vende café gourmet, pode oferecer bules, xícaras, toalhas de mesa entre outros itens. Uma compra recorrente com assinatura também é uma boa opção.

6. Use embalagens mais eficientes

No comércio eletrônico, um dos custos mais negligenciados é o da embalagem. Ter um tamanho único para todos os produtos não é uma boa ideia. Além de encarecer o frete, o espaço vazio atrapalha a proteção dos itens — você ainda precisa gastar outro material para preencher o espaço. Para pequenos objetos, talvez um envelope acolchoado seja a melhor solução.

Use essas dicas para reduzir os custos do seu e-commerce!

Dedicar esforços na redução de custos no e-commerce é fundamental para manter a empresa competitiva. Sem esse planejamento, toda a margem de lucro está comprometida. Isso faz com que a companhia esteja limitada para investir em tecnologia, estoque, colaboradores, novas oportunidades, etc. Ou você limita os custos, ou eles vão limitar a sua gestão.

Você já pensou em vender em marketplaces? Descubra agora como funcionam os custos das plataformas e como elas podem alavancar sua empresa.

Venda mais com o Olist

1 Comentário

Adicione o seu

+ Deixe um Comentário