Artesanato brasileiro concorrido no mercado internacional


Artesanato brasileiro concorrido no mercado internacional
5 (100%) 1 voto

artesanato-brasileiro-concorrido-no-mercado-internacional

O artesanato é uma atividade comum à diversos povos do mundo. Mas é no Brasil que a produção tem ganhado mais destaque entre os estrangeiros.

O uso de pigmentos naturais, cestaria e cerâmica, além da arte plumária e a qualidade de produtos feitos a mão, faz com que o nosso país tenha as mais ricas peças do mundo, refletindo a nossa diversidade cultural. Todo o charme e particularidade do nosso artesanato, aliado às novas oportunidade tecnológicas e a globalização, trazem o setor a um lugar de destaque na importação e no comércio mundial. Assim, este trabalho tradicional ganha um novo impulso no país, principalmente, devido aos grandes eventos da atualidade.

Com o Brasil em destaque no mundo, a realização da Copa do Mundo e a futura Olimpíada no Rio de Janeiro, os produtos artesanais marcados pela brasilidade só tem crescido. De acordo com a Associação Brasileira de Exportação de Artesanato (Abexa), com base em levantamento informado à instituição pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), vinculada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, os produtos artesanais brasileiros enviados ao exterior somaram US$ 38 milhões de outubro de 2012 ao mesmo mês de 2013, o que segundo o órgão é uma receita recorde.

Entre os países que compram nosso artesanato estão França, Reino Unido, Estados Unidos e Alemanha.

Vender pela internet

Para aproveitar esse ciclo positivo, os empreendedores precisam saber como vender artesanato pela internet. Existem vários caminhos, entre eles formar parcerias com outros empreendedores ou cooperativas e vender os produtos em um site coletivo ou buscar informações e criar uma estrutura para desenvolver seu próprio site. No caso da segunda opção, será tudo por sua conta, como a contratação de uma empresa para desenvolver a sua loja virtual ou comprar um modelo pronto. Também é possível alugar um sistema pré-configurado e pagar mensalmente. Dessa forma, o próprio artesão poderá atualizar o sistema, nesse caso um site de e-commerce.

Parceiros do artesão

Se não quer começar sozinho, faça parcerias para vender seu artesanato para todo planeta com quem já está engajado no e-commerce de forma segmentada.

Conheça alguns sites que podem ser excelentes opções para alavancar seu negócio.

Elo7

É um site interessante para vender os mais variados produtos artesanais. O Elo7 é voltado aos pequenos artesões que precisam divulgar os seus produtos, mas não sabem como criar uma loja virtual ou não querem perder tempo com essa etapa do processo, preferindo terceirizar ou formar parcerias, o que é o caso nesse site.

O artesão empreendedor pode criar a sua loja dentro do próprio site Elo7 e comercializar os seus produtos de forma muito simples. Mesmo que você ainda não tenha formalizado sua empresa, ainda poderá vender pelo Elo7 e receber os pagamentos no cartão de crédito ou boleto bancário utilizando o Moip e receber diretamente na sua conta bancária de pessoa física.

Solidarium

Com o slogan “Amamos tudo feito à mão”, a Solidarium é um marketplace voltado para os artesãos comercializarem os seus trabalhos com segurança e rentabilidade.

Além disso, oferece suporte ao parceiro através de chat ao vivo em tempo real e telefone para tirar todas as dúvidas durante o horário comercial das 09h00 às 18h00, de segunda a sexta-feira.

Não é cobrada taxa de cadastro, mensalidade e nem anuidade, apenas 15% de comissão sobre as vendas.

Alternativas

Além dos sites temáticos citados acima, algumas alternativas são válidas, como o Mercado Livre que é considerado o maior site de leilões e vendas do Brasil. Você não terá especificamente uma loja virtual no sistema, mas poderá cadastrar seus produtos e vende-los. Basta cadastrar cada item, enviar fotos, colocar as descrições e comercializar. Os anúncios grátis aparecem nas últimas posições das buscas e tem pouca visibilidade, por isso se optar pelos anúncios pagos terá mais sucesso.

Olist também é uma outra alternativa. Nela pequenos e médios produtores podem vender duas produções criativas e de qualidade sem a necessidade de criar um e-commerce. Na plataforma é possível gerenciar os estoques, as vendas e a logística, além de anunciar nos maiores sites de comércio eletrônico do país. Ou seja, perfeita para conectar artesões e varejistas de forma rápida e segura.

Primeiro E-commerce SEBRAE

O programa é resultado de uma parceria entre o Mercado Livre e o SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), objetivando a criação de uma plataforma de auxílio aos pequenos negócios, oferecendo gratuitamente uma ferramenta que permite o desenvolvimento de uma loja virtual de forma simples. Conhecida também como Mercadoshops, o e-commerce possibilita o cadastro de produtos no maior site de compras do país e divulga sua loja para o público.

Apenas é cobrada uma taxa de 4,99% por cada venda realizada. É disponibilizada uma loja personalizada para a sua empresa ou seu negócio, variando de acordo com a sua marca, criando dessa forma a sua identidade visual própria.

Você conhece algum outro site interessante? Compartilhe conosco nos comentários!

12 Comentários

Adicione o seu
  1. 1
    williams

    bom dia trabalho com artesanato e estou tendo dificuldades de vender e queria dicas de como vender e divulgar o meu produto a maior dificuldade e divulgar o meu produto todos eles sao de fino acabamento e muitos lindos desde já agradecido.

  2. 2
    Ediberto Luiz da Silveira

    O programa é resultado de uma parceria entre o Mercado Livre e o SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), objetivando a criação de uma plataforma de auxílio aos pequenos negócios, oferecendo gratuitamente uma ferramenta que permite o desenvolvimento de uma loja virtual de forma simples. Conhecida também como Mercadoshops, o e-commerce possibilita o cadastro de produtos no maior site de compras do país e divulga sua loja para o público.
    Apenas é cobrada uma taxa de 4,99% por cada venda realizada. É disponibilizada uma loja personalizada para a sua empresa ou seu negócio, variando de acordo com a sua marca, criando dessa forma a sua identidade visual própria. Exatamente o que eu preciso.

  3. 5
    fernanda ribeiro

    Tenho produtos de artesanato de palha pra vender no atacado, bolsas, carteiras, chapéis… tenho interesse em exportar, mas estou tendo dificuldades em encontrar lojas. alguém poderia me ajudar ? obrigada

    • 6
      Nilton

      Sou especialista na área de Comércio Exterior e atualmente trabalho como Gestor do Projeto de Dinamização da Inovação em MPE, idealizado pelo GAIA CTI. Artesanato e trabalhos manuais é um dos seguimentos que vem sendo utilizado como piloto pelo projeto para uma iniciativa de desenvolvimento de compradores internacionais e estabelecimento de uma operação de exportação. Os interessados em conhecer mais detalhes sobre o projeto poderão enviar mensagem para nilton.machado@cti.gov.br

      • 7
        luciene freitas

        boa tarde Nilton! tenho interesse em conhecer mas sobre esse projeto,trabalho também no grupo Mpe
        em Valença Bahia,não na mesma área que vc .sou artesã nas horas vagas,tenho uma loja de artesanato,e no momento estou tentando organizar uma feira de artesanato na minha cidade,não é nada fácil ,agente não encontra o apoio que necessita,mas acredito no artesanato como fonte de renda,precisamos de incentivos,resolvi responder ao seu comentário,porque no momento que vi seu comentário estava
        pensando em procurar a MPE para buscar apoio,tipo patrocínio para andamento do meu projeto ,que é fazer essa primeira feira de artesanato de minha querida cidade valença/Guaibim. att luciene

  4. 8
    Carmem Dutra de Andrade Aguilar Lima

    Faço artesanato há anos, e nunca consegui viver somente com essa renda, como faço para expor e vender meus produtos para o exterior

  5. 12
    mary

    Faço artesanatos desde aos 13 anos, com a vinda dos filhos eu dei uma parada, mas há 5 anos voltei com força total, trabalhos com croches ( tapacarias, bordados em vagonite) e como a Luciene Freitas falou acima, não temos apoio e precisamos de incentivos, dai eu pesquisando sites, vi a possibilidade de comecar a exportar para países como : França, Reino Unido, Estados Unidos e Alemanha que mais compram nossos artesanatos, mas preciso de ajuda pois não sei por onde comecar, não quero entrar numa citada, aguardo retrorno pelo meu email. Obrigada Mary

+ Deixe um Comentário