Begin typing your search above and press return to search. Press Esc to cancel.

Black Friday 2018: 5 fatos que talvez você ainda não saiba


Black Friday 2018: 5 fatos que talvez você ainda não saiba
5 (100%) 10 votos

Black Friday 2018: 5 fatos que talvez você ainda não saiba

A Black Friday já é a segunda data mais importante no varejo brasileiro, atrás apenas do Natal. Por esse motivo, lojistas de todo o país começam a preparar suas lojas com meses de antecedência. Além disso, vários consumidores optam por economizar ao longo do ano só para aproveitar ao máximo as ofertas desta ocasião.

Como já é de praxe, a Black Friday ocorrerá na quarta sexta-feira de novembro (dia 23/11), com uma grande expectativa de participação dos consumidores, e crescimento no volume de vendas e faturamento. Ao contrário do que se pensava, o evento não mudou de data nesta edição. Trabalhos como a pesquisa Thanks God It’s Black Friday, realizada pelo Google em junho de 2017, comprovam o otimismo.

O estudo apresenta números e características do comportamento das pessoas durante a Black Friday em 2016. Separamos algumas das conclusões mais surpreendentes sobre a data e que podem ajudar você a traçar estratégias de vendas para o seu negócio. Confira a seguir!

Contrate o olist agora mesmo

Fato 1: a Black Friday é sinônimo de desconto de verdade

Logo que foi introduzida no Brasil, a Black Friday enfrentou muito ceticismo por parte dos consumidores. Termos como Black Fraude eram constantemente utilizados em alusão à data. Mas o estudo do Google deixou claro que essa imagem já foi transformada no Brasil.

A conclusão é baseada em uma análise na qual a opinião das pessoas sobre a data foi associada com hashtags. Entre os respondentes, 55% usaram termos positivos, como #descontodeverdade. Apenas 8% citaram o termo #blackfraude e os outros 37% utilizaram expressões neutras, como #blackfriday.

O evento caiu no gosto do brasileiro e vem atraindo novos consumidores a cada ano. Espera-se que 370 mil pessoas comprem pela primeira vez online nesta edição da Black Friday. Entre os que já compram produtos online, 68% pretendem fazer alguma aquisição na próxima edição.

Fato 2: a Black Friday muda o comportamento das pessoas

O crescimento e os efeitos provocados pela Black Friday são sentidos pelo varejo de diferentes maneiras. O estudo do Google indica que as vendas nos estabelecimentos físicos, por exemplo, crescem 3,5 vezes na sexta-feira de ofertas em relação às outras sextas-feiras do ano.

Dados do aplicativo de navegação Waze indicam um salto de 68% nas viagens que tinham lojas físicas como destino final na data da Black Friday. As categorias com o maior fluxo de visitas no período foram Lojas de Departamento (salto de 143%), Móveis e Decoração (+106%) e Livrarias (+88%).

A busca por palavras-chave na rede de pesquisa do Google também aumenta significativamente no mês de novembro. Em 2016, itens como Chromecast (+213%), fralda (+183%), colchão (+183%), whisky (+166%) e powerbank (+159%) apresentaram o maior índice de crescimento na variação de buscas do Google.

Tudo isso gera resultado financeiro. Em 2017, a Black Friday movimentou R$ 2,1 bilhões no e-commerce – alta de 10,3% em relação a 2016. Conforme o Ebit, as categorias de produtos com maior volume de vendas foram as seguintes:

  • Eletrodomésticos (16%)
  • Moda e acessórios (12%)
  • Telefonia / Celulares (12%)
  • Perfumaria e cosméticos / Saúde (10%)
  • Casa e decoração (9%)

Em 2018 a Black Friday promete contribuir para o crescimento total das vendas do e-commerce brasileiro, que deve encerrar o ano com R$ 53,5 bilhões de faturamento e 60 milhões de consumidores.

Fato 3: a Black Friday vai além de um dia

A Black Friday no Brasil acontece sempre na última sexta-feira de novembro, mas o impacto sobre as vendas é bem mais abrangente. Muitas lojas aproveitam para abaixar seus preços durante a semana do evento – na chamada Black Week.

O estudo do Google aponta que 16% das compras ocorrem antes da Black Friday (segunda-feira a quinta-feira) e outras 5% são concretizadas logo após a data (sábado, domingo e segunda-feira). O tíquete médio também é, em média, 20% superior, atingindo um patamar acima de R$ 1,4 mil.

O desempenho positivo da prática tem levado alguns lojistas a extrapolar ainda mais o período de ofertas: é o caso do Black Month. Disponibilizar as ofertas por mais tempo é uma estratégia que acaba beneficiando ambas as partes envolvidas: o lojista aumenta o volume de vendas e, consequentemente, o faturamento, enquanto o cliente tem mais tempo para tomar a decisão de compra.

Baixe agoraFato 4: a Black Friday é mais do que descontos

O principal apelo para um consumidor realizar uma compra durante a Black Friday ainda é o preço. O estudo do Google indica que 49% das pessoas avaliam esse critério antes da tomada de decisão. Mas nos últimos anos outros fatores também têm ganhado relevância.

A maior parte (51%) dos aspectos ponderados pelos potenciais consumidores dizem respeito à confiança e à experiência do consumidor, incluindo o custo do frete, formas de pagamento e prazo de entrega.

Outro elemento relevante é a fidelização. Dois terços dos consumidores fizeram compras em lojas nas quais já eram clientes. Isso mostra como é importante ir além do preço, oferecendo condições vantajosas de frete, formas de pagamento e atendimento.

Fato 5: a Black Friday tomou conta do Brasil

A Black Friday já caiu no senso comum do brasileiro, deixando de ser um evento de nicho. Entre 2012 e 2016, a quantidade de lojas físicas presentes no evento dobrou, rompendo a barreira de 43 mil participantes. O número de e-commerces que aderiram à campanha cresceu por dez no mesmo período. Com essa expansão, surgiram programas para garantir a qualidade das lojas participantes, como o Selo Black Friday Legal.

Esse crescimento em duas vertentes favorece as empresas que possuem loja física e virtual integradas (omnichannel). Isso fica claro com o salto em buscas como “retirar na loja”, que dobra no período, segundo dados do Google.

Dicas para faturar mais na Black Friday

Conforme explicamos, a Black Friday é uma das datas do ano mais aguardadas pelos clientes. Pensando nisso, é recomendado que os lojistas adotem estratégias para se preparar para o evento, otimizar a operação do negócio e aumentar as chances de venda. Listamos algumas dicas importantes a seguir!

1) Se planeje com antecedência

Não deixe para planejar de última hora a campanha de Black Friday da sua loja. Planejamento é fundamental para que você defina a estratégia comercial ideal, as ações de divulgação que irá adotar e os prazos para colocá-las em prática.

Já comece a pensar nos produtos que serão colocados em promoção e nas taxas de desconto que a loja vai oferecer aos clientes – confira aqui algumas técnicas de precificação. Também avalie quanto você pretende investir em estoque e aumento de portfólio, por exemplo.

2) Prepare um estoque robusto

Selecione os produtos da sua loja que têm maior potencial de venda e monte um estoque exclusivo e robusto para eles. Caso as suas ofertas sejam realmente vantajosas para os consumidores, a chance de os produtos esgotarem é grande. Por isso, é importante estar preparado para este cenário. Sugerimos que você negocie com o fornecedor para obter um preço de compra mais vantajoso.

3) Ofereça descontos atrativos

Não existe Black Friday sem promoção. Oferecer bons descontos é essencial para que a loja se destaque dos concorrentes e conquiste o público. Só não se esqueça de fazer isso de forma planejada, calculando exatamente qual é a sua margem de lucro sobre os produtos e, a partir disso, qual valor de desconto é viável.

Use da criatividade para criar grandes promoções e chamar a atenção do público. Algumas das possibilidades são: montar kits de produtos, dar descontos progressivos conforme o valor da compra e oferecer brindes. Para mais dicas de como fazer uma promoção arrasadora, acesse este post.

4) Invista na divulgação

De nada adianta oferecer descontos incríveis se não houver a divulgação adequada, não é mesmo? Nesse contexto, crie estratégias de marketing para ampliar a visibilidade da sua marca. Utilize as redes sociais para que o público entre em contato com as ofertas da loja – saiba mais sobre como vender no Instagram, no WhatsApp e no Facebook.

Outra dica é investir em publicidade paga na internet, utilizando ferramentas como Google Ads e Facebook Ads. Elas vão ajudar a sua loja virtual a conquistar um melhor posicionamento nos buscadores online, ampliando o número de pessoas impactadas pelos seus anúncios.

5) Tenha uma operação eficiente

Receber um produto com atraso, danificado ou, ainda pior, não recebê-lo é uma péssima experiência para o cliente. Pensando nisso, faça o possível para que a mercadoria chegue intacta e dentro do prazo correto à casa do consumidor, oferecendo o melhor serviço possível.

Há alguns passos que você pode seguir para garantir uma boa operação, como agilizar parte do processo – já deixar os produtos embalados e preparados para o envio –, escolher transportadoras de qualidade e ter uma logística reversa eficiente.

6) Venda em marketplaces

Os marketplaces são excelentes oportunidades para quem deseja aumentar as vendas online e o faturamento. Os mercados online permitem que micro, pequenos, médios e grandes lojistas alcancem novos clientes e comercializem os seus produtos por todo o Brasil. E o melhor: o investimento para fazer isso não é alto.

Se você quer impulsionar as vendas da sua loja durante a Black Friday deste ano, comece a vender agora mesmo nos principais marketplaces do Brasil contando com a ajuda do Olist. Saiba mais clicando aqui!

Onde encontrar boas promoções

Você é um cliente que deseja encontrar boas promoções ou um lojista que busca inspirações para a campanha da sua loja? Então confira as lojas virtuais e os marketplaces listados a seguir! Eles costumam oferecer ótimas promoções durante a Black Friday e, por isso, se tornaram referência em relação à data.

Conclusão: aproveitar a Black Friday é uma obrigação

Com planejamento e antecedência, qualquer lojista pode alavancar as vendas na Black Friday. Os números deixam claro como esse evento é relevante e tem potencial para alavancar os resultados de qualquer loja física ou virtual.

Para isso, vale a pena seguir algumas dicas essenciais. Tenha produtos em estoque para atender à demanda, reveja o processo de precificação para reduzir os preços e esteja sempre pronto para responder às dúvidas dos clientes. Além disso, não deixe de procurar canais alternativos para aumentar as vendas, como os marketplaces. A entrada de lojistas nos gigantes do varejo leva algum tempo, por isso, prepare-se com antecedência para lucrar mais nesta Black Friday.

Tem outras dúvidas sobre como se preparar para a Black Friday? Então compartilhe nos comentários!


+ Nenhum comentário

Adicione o seu

---- MyChat ----