Como evitar o bloqueio ou suspensão da loja nos marketplaces?


Como evitar o bloqueio ou suspensão da loja nos marketplaces?
5 (100%) 7 votos

Como evitar o bloqueio ou suspensão da loja nos marketplaces?  

Não há dúvidas de que uma loja suspensa ou bloqueada nos marketplaces é um dos piores pesadelos que um comerciante pode enfrentar.

Muitas vezes essa notícia aparece de surpresa, trazendo consequências severas para o negócio.

A loja deixa de concretizar vendas e todas as buy boxes são perdidas imediatamente.

E, caso o marketplace seja a principal fonte de faturamento, o estrago financeiro pode ser imenso.

Mas como é possível evitar uma situação de bloqueio ou suspensão nos marketplaces?

É fundamental entender os principais fatores que geram o bloqueio de uma loja, atuando de maneira preventiva para evitar que eles ocorram.

Listamos neste post os 5 aspectos mais relevantes e indispensáveis para qualquer lojista:

contrate o olist agora mesmo

1) Pontualidade no envio e nas entregas

Concretizar a venda é apenas a primeira etapa do processo de venda nos marketplaces.

Após receber os pedidos a loja precisa executar os processos de faturamento, picking, packing e postagem.

Tudo isso deve ser feito sem atrasos, respeitando o prazo operacional informado aos marketplaces no momento em que o produto foi cadastrado.

Um elevado índice de atrasos na postagem, mesmo em situações como feriados e finais de semanas, não é tolerado pelos marketplaces.

Por essa razão, é necessário ter processos claros e bem-definidos, além de uma preparação especial para sazonalidades como a Black Friday.

Essas ações ajudam a garantir que o prazo de entrega seja respeitado.

Os canais de venda também monitoram atentamente este indicador como um critério para definir o bloqueio de uma loja.

2) Cancelamentos de vendas feitos pela loja

Um alto índice de cancelamento de pedidos pode ser fatal para a permanência da loja nos marketplaces.

Além de abrir margem para questionamentos judiciais, o cancelamento representa oportunidades reais de venda que foram desperdiçadas.

Por essa razão, é importante que sejam anunciados apenas os itens disponíveis para pronta-entrega, com um volume de estoque real.

O lojista também precisa estar atento ao preço de venda informado ao canal, para evitar erros de digitação que possam se converter em prejuízos.

Os próprios marketplaces limitam um desconto máximo de 50% por vez, para evitar esse tipo de situação.

3) Agilidade do SAC no atendimento de protocolos

Os marketplaces intermediam todas as situações de atendimento ao cliente (SAC) que envolvam produtos vendidos pelos lojistas parceiros.

A maioria dos canais possui indicadores mínimos de performance (SLAs, na sigla em inglês) que definem qual o prazo máximo para resposta aos protocolos de atendimento.

Assim, falta de agilidade na resposta de protocolos e na resolução de problemas também pode gerar o bloqueio da loja virtual.

Isso exige políticas claras para casos com trocas e devoluções, bem como o monitoramento constante dos tíquetes de suporte para evitar atrasos ou um acúmulo de reclamações.

4) Venda de produtos restritos ou sem autorização do representante

Existem determinados produtos que só podem ser vendidos mediante autorização da Anvisa ou outras instituições reguladoras.

Há ainda produtos que só podem ser vendidos com autorização oficial da marca e outros itens que possuem restrição total nos marketplaces.

Lojas que descumpram essas regras e comercializem esses itens podem ser identificadas e bloqueadas pelos marketplaces.

Nesses casos, o desbloqueio pode ocorrer somente após a suspensão das vendas dos produtos restritos.

5) Reputação geral da loja

Todos os aspectos acima resultam em um dos fatores mais relevantes para o bloqueio de uma loja nos marketplaces: a reputação geral da empresa.

As redes varejistas sempre solicitam o feedback dos consumidores que compram de lojistas parceiros. Isso se traduz em indicadores como nota, estrelas ou qualificações.

Um excesso de notas baixas pode sinalizar que a loja em questão está enfrentando algum tipo de problema no atendimento aos clientes.

Para evitar que a situação saia do controle, os marketplaces podem bloquear a loja. Essa decisão também pode ser baseada em fatores como o volume de reclamações no Reclame Aqui e no Procon.

Assim, boas avaliações devem ser uma obsessão para as lojas que estão nos marketplaces. A excelência no atendimento ao cliente e a agilidade na resolução de problemas são decisivas para que a reputação não caia drasticamente, afetando as vendas.


Conclusão

Os fatores que influenciam o bloqueio de uma loja virtual nos marketplaces são claros e facilmente administrados por qualquer comerciante.

Basta priorizar o atendimento ao cliente e ser eficiente na resolução de problemas, bem como respeitar os termos do contrato firmado com o canal de venda.

Isso evita quedas abruptas na venda e uma situação de pânico que poderia ser perfeitamente evitável.

Tem outras dúvidas sobre como funciona o bloqueio nos marketplaces? Comente abaixo!

+ Nenhum comentário

Adicione o seu