Estoque no e-commerce: o que é FIFO, LIFO, PEPS, UEPS e FEFO?


Estoque no e-commerce: o que é FIFO, LIFO, PEPS, UEPS e FEFO?
5 (100%) 8 votos

Estoque no e-commerce: o que é FIFO, LIFO, PEPS, UEPS e FEFO?

FIFO (PEPS): FIFO é uma sigla para First in, first out ou Primeiro a entrar, primeiro a sair, na tradução em português. Trata-se de uma estratégia de gestão de estoque na qual os produtos que estão armazenados há mais tempo são despachados primeiro para os consumidores. Isso garante que o custo da mercadoria vendida e o custo do estoque remanescente sejam correspondentes.

LIFO (UEPS): o termo se refere a Last in, first out ou Último a entrar, primeiro a sair, em português. Nessa estratégia, o produto mais recente no estoque (com menor tempo de armazenagem) é despachado primeiro. Com isso, pode haver divergência entre o custo da mercadoria vendida e o custo do estoque remanescente, já que nem sempre é possível pagar o mesmo preço por lotes distintos de produtos.

FEFO: significa First expired, first out ou Primeiro a vencer, primeiro a sair em português. Nesse modelo os produtos com data de validade mais próxima são despachados primeiro, pouco importando há quanto tempo os itens estão estocados. 

Se essa sopa de siglas e letrinhas deixou você confuso, não se preocupe! Iremos explicar em detalhes cada um desses termos e como eles se aplicam na gestão de uma loja virtual.

Antes de mais nada, é fundamental entender que todas essas palavras se referem a estratégias de gestão de estoque, seja em um Centro de Distribuição (CD), armazém ou almoxarifado.

Esses modelos permitem organizar todo o fluxo de entrada e saída dos produtos, definindo diretrizes e favorecendo cálculos como a receita de venda e o valor do estoque remanescente.

Pode ter certeza que se o seu negócio possui um estoque profundo e diverso de produtos, o conceito que há por trás desses termos será de grande ajuda para otimizar a gestão.

Vamos aos detalhes. Ou, se preferir, escute a versão em áudio deste post:

Fifo ou Peps: vantagens e aplicações

Como já foi explicado acima, o modelo Fifo prioriza o envio dos produtos mais antigos dentro do estoque para o consumidor final.

Traduzindo em um exemplo prático: suponha que você comprou dois lotes do produto A em um mesmo mês, sendo que o lote 1 foi adquirido em 05/04 e o lote 2 em 25/04.

Se um consumidor efetivar uma compra em 26/04, o modelo Fifo determina que ele deverá receber um item oriundo do lote 1. Somente quando o lote 1 se esgotar será possível despachar itens pertencentes ao lote 2.

Essa lógica garante uma circulação contínua e ordenada dos itens, evitando problemas como a deterioração ou obsolescência dos produtos. Além disso, é possível definir com precisão os custos de venda e de estoque.

Imagine, por exemplo, que entre a compra do lote 1 e do lote 2 os preços tenham subido 10%. Nesse caso, você poderá calcular sua margem de lucro e ajustar o preço de venda de um modo mais simples.

venda_mais_com_olistLifo ou Ueps: vantagens e aplicações

No modelo Lifo o produto que está a menos tempo no estoque sai primeiro.

Vamos usar o mesmo modelo do tópico anterior: você comprou o lote 1 do produto A em 05/04 e o lote 2 do mesmo item em 25/04.

Nesse caso, o consumidor que comprou em 26/04 irá receber um item do lote 2. Somente quando esse lote acabar a loja poderá acionar o lote 1 de produtos.

Essa lógica pode ser interessante em momentos de pico nos preços de um produto. O Lifo permite que essa alta seja repassada ao consumidor, sem que a empresa tenha que internalizar o aumento para preservar os preços.

Por outro lado, ao utilizar esse modelo, o valor do produto estocado tende a ficar subestimado. Considere a mesma alta de 10% no preço entre um lote e o outro. Os itens armazenados terão uma defasagem de preço em relação aos itens já disponíveis.

Essa lógica não é interessante para produtos com data de validade, que devem seguir outro modelo. 

Fefo: vantagens e aplicações

O modelo Fefo leva em conta a data de validade do produto para determinar a sequência em que os lotes saem do estoque. Produtos que estejam mais próximos do vencimento devem ser despachados primeiro.

Esse modelo é recomendado para o comércio de itens perecíveis, como alimentos, cosméticos, produtos químicos, entre outros.

Neste caso, uma forma interessante de calcular os valores de venda e estoque remanescente é utilizar um modelo de custo médio (média ponderada ou média móvel). Deste modo é possível avaliar de forma mais precisa o impacto de possíveis flutuações no preço do produto.

Conclusão 

Em um primeiro momento pode parecer complicado entender todas as siglas que definem a gestão e o fluxo dos produtos estocados.

Mas, ao conhecer os conceitos e a realidade da loja em questão esse controle se torna muito mais fácil.

O modo mais prático para definir uma estratégia é observar atributos como: frequência de compra dos produtos, flutuação média de preços, perecibilidade dos itens vendidos e volume de vendas.

Pondere todas essas variáveis, avalie os modelos e verifique qual deles se adequa melhor a lógica do seu negócio.

Tem outras dúvidas sobre gestão de estoque? Então faça o download do e-book Guia simplificado de gestão de estoque para e-commerce!


+ Nenhum comentário

Adicione o seu