5 marcas que souberam lucrar com o comércio online: ranking e segredos!


5 marcas que souberam lucrar com o comércio online: ranking e segredos!
5 (100%) 6 votos

Marcas-que-souberam-lucrar-o-comercio-onlineA internet, muito mais que um âmbito de entretenimento e pesquisa, também é um local de exposição para produtos e serviços. O consumidor, que outrora era receoso em fazer compras online, hoje vê essa possibilidade como um facilitador. Conheça algumas marcas e serviços que foram bem sucedidas no e-commerce e também algumas das características que não podem faltar à uma loja de sucesso.

1 – Vencendo desafios para a criação do Kaboom!

Em 2003, dois jovens de Limeira criaram o Kaboom!, loja online que vende desde computadores a produtos de beleza. A Kaboom! fez parte do que é chamada primeira geração do e-commerce, e enfrentou todas as dificuldades iniciais, como: provar a idoneidade da loja, falta de ferramentas de pesquisa, dificuldade de pagamento das compras, a logística de entrega e o banco de dados dos produtos. Hoje é uma empresa que venceu todas essas dificuldades e está bem consolidada.

2 – O caso clássico de sucesso da Netshoes

Um dos casos clássicos de e-commerce é a Netshoes. Essa empresa iniciou seus trabalhos em lojas físicas e depois decidiram migrar para a internet e tiveram as mesmas dificuldades da primeira geração que a Kaboom!. Nesse primeiro mês de loja online não conseguiram vender um produto sequer, eles optaram por não desistir e em 2012, por exemplo, obtiveram um faturamento de R$1,2 Bi.

3 – O empreendendorismo da Mazaweb

Deixar de lado um emprego estável para tentar a sorte no comércio online: essa foi a ideia dos dois empreendedores da Mazaweb, uma loja diversificada que vende mochilas a lenços palestinos. Atualmente faturam R$85 mil por mês e ainda preveem um crescimento em cima deste valor.

4 – O Clube do Malte fazendo da cerveja um hobby

O Clube do Malte em 2014 apresentava renda anual de mais de R$1 milhão, e hoje esse valor já deve ter aumentado bastante. Fundamentado em assinaturas que fornecem a seus compradores cervejas em aspectos mais temáticos, seus idealizadores apostaram no comércio online e no sistema de franquias e se deram bem.

Contrate o olist agora mesmo

5 -  O produto artesanal da Giuliana Flores presente em todo Brasil

Um dos líderes do setor de floricultura é a empresa Giuliana Flores, que tem nos arranjos de flores seu carro chefe. Além de entregar arranjos e presentes em todo o Brasil, também atende o segmento corporativo. Encerrou o ano de 2014 com um crescimento de 36%, além de ter criado diversas parcerias. Em 2015 estimou um crescimento de 30% e também consolidar seu serviço de entregas rápidas que permite que a encomenda chegue ao destino em até três horas nas capitais e principais cidades brasileiras.

Dicas dos profissionais em comércio eletrônico

Há algumas características mencionadas pelos empreendedores dos casos acima como necessárias para um bom andamento e planejamento da loja online. Um atendimento humanizado é fundamental, assim como transmitir credibilidade e compromisso aos clientes. Muito do marketing associado a sua marca partirá do boca a boca online. Importe-se com esses comentários, sejam eles bons ou ruins. Invista na usabilidade de seu site. Clientes não gostam de se sentir perdidos enquanto fazem as compras.

Do ponto de vista operacional, os empreendedores de sucesso dizem para manter um estoque bem abastecido, já que todo cliente gosta de receber o produto o mais rápido possível. Uma atenção especial à logística deve ser inserida nas pautas das reuniões.

Forneça preços competitivos e tente elaborar parcerias com lojas físicas espalhadas pela sua área de atuação. Isso pode aumentar a rapidez nas entregas e atrair mais clientes.

E, naturalmente, não desista tão fácil.

Ranking do comércio eletrônico

Confira na lista abaixo, produzida pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), quais são as maiores empresas de comércio eletrônico do Brasil:

  1. B2W Digital (Americanas/Submarino) – R$ 10,520 bilhões
  2. Via Varejo (Casas Bahia/Pontofrio)- R$ 2,906 bilhões
  3. Magazine Luiza – R$ 2,671 bilhões
  4. Privalia- R$ 2,519 bilhões
  5. Máquina de Vendas (Ricardo Eletro)- R$ 2,250 bilhões
  6. Grupo Netshoes – R$ 2,200 bilhões
  7. Dell – R$ 1,075 bilhão
  8. Fast Shop – R$ 969 milhões
  9. GFG (Dafiti) – R$ 884 milhões
  10. Polishop – R$ 720 milhões
  11. Saraiva – R$ 605 milhões
  12. Walmart Brasil – R$ 554 milhões
  13. Grupo Herval – R$ 450 milhões
  14. Mobly – R$ 382 milhões
  15. Wine.com – R$ 375 milhões
  16. Ultrafarma – R$ 347 milhões
  17. Lojas Colombo – R$ 323 milhões
  18. Web Fones – R$ 300 milhões
  19. Comper Supermercados – R$ 242 milhões
  20. Panvel Farmácias – R$ 205 milhões
  21. Madeira Madeira – R$ 200 milhões
  22. Multi-Ar – R$ 195 milhões
  23. Novo Mundo – R$ 183 milhões
  24. Lojas Renner – R$ 181 milhões
  25. Grupo Soma de Moda (animale/Farm) – R$ 167 milhões
  26. Icomm Group (oqvestir) – R$ 160 milhões
  27. Grupo Boticário – R$ 134 milhões
  28. Livraria Cultura – R$ 117 milhões
  29. Lojas KD – R$ 106 milhões
  30. Grupo Trendfoods (Chinainbox) – R$ 103 milhões
  31. Arezzo – R$ 102 milhões
  32. Evino – R$ 100 milhões
  33. Muffato – R$ 85 milhões
  34. Zona Sul Supermercados – R$ 84,4 milhões
  35. Rockstore – R$ 84,3 milhões
  36. Drogaria Onofre – R$ 84 milhões
  37. Época Cosméticos – R$ 69 milhões
  38. Eletrozema – R$ 68 milhões
  39. Lojas Marisa – R$ 66 milhões
  40. Angeloni – R$ 65 milhões
  41. Netfarma – R$ 64 milhões
  42. Gallerist – R$ 55 milhões
  43. Ri Happy/PBKids – R$ 47 milhões
  44. Arcacenter – R$ 46 milhões
  45. Raia Drogasil – R$ 42 milhões
  46. Cia Hering – R$ 37 milhões
  47. eÓtica – R$ 36 milhões
  48. Sabor de Viver (Danone) – R$ 34 milhões
  49. Polo Ar – R$ 34 milhões
  50. Carmen Steffens – R$ 32 milhões
  51. Reserva – R$ 25 milhões
  52. Inbrands (Ellus, Richard, Bobstore) – R$ 23 milhões
  53. Sunglass Hut – R$ 22,7 milhões
  54. Giraffas – R$ 22,5 milhões
  55. Men´s Market – R$ 21 milhões
  56. Decathlon – R$ 20,8 milhões
  57. Gripo Trigo – R$ 20,6 milhões
  58. Telhanorte – R$ 20 milhões
  59. Alpargatas – R$ 17 milhões
  60. Havan – R$ 16 milhões
  61. Le Postiche – R$ 15 milhões
  62. Grupo Paquetá – R$ 13 milhões
  63. Terra dos Passáros – R$ 10 milhões
  64. Lojas Lebes (Drebes & Cia) – R$ 10 milhões
  65. Petz – R$ 9 milhões
  66. Mambo – R$ 8 milhões
  67. Chilli Beans – R$ 7 milhões
  68. Pontal – R$ 1,4 milhão
  69. Todimo – R$ 1,3 milhão
  70. Lupo – R$ 1 milhão

Ficou inspirado com este post? Conte para gente o que faz a sua marca ser um sucesso na internet!


+ Nenhum comentário

Adicione o seu