Margem de contribuição: o que é, como se aplica nos marketplaces?


Margem de contribuição: o que é, como se aplica nos marketplaces?
5 (100%) 10 votos

Margem de contribuição: o que é, como se aplica no marketplace?

A precificação está longe de ser uma atividade fácil na rotina de qualquer lojista. O grande desafio ao gerenciar essa equação é atingir o equilíbrio: como manter preços competitivos e que possam, ao mesmo tempo, trazer a lucratividade desejada?

Felizmente, existem algumas técnicas que podem tornar esse processo menos complicado. Neste artigo você vai conhecer uma delas, que é a margem de contribuição.

Vamos mostrar os conceitos e formas de cálculo de margem de contribuição, bem como sua aplicação prática nas vendas em marketplaces. Acompanhe!

contrate o olist agora mesmo

O que é margem de contribuição?

Dentre as várias técnicas de precificação existentes, a margem de contribuição é a mais recomendada para empresários que realmente querem ter controle do lucro e outros indicadores financeiros.

Na prática, ela representa o que “sobra da venda” após descontar despesas e custos variáveis. Logo, o lucro real.

Além disso, o modelo apresenta as seguintes vantagens:

  • Maior controle sobre o real lucro do negócio;
  • Melhor entendimento e facilidade na aplicação do crescimento sustentável em sua empresa;
  • Maior facilidade na elaboração de promoções e flutuações de preço, uma vez que você sabe que nunca estará perdendo dinheiro se apurá-la corretamente.

Como é feito o cálculo da margem de contribuição?

Para se calcular corretamente a margem de contribuição, o primeiro passo é conhecer com exatidão os custos e despesas variáveis do negócio. Depois, é só seguir essa fórmula:

Margem de contribuição = Preço de venda – Custos e Despesas variáveis diretas do produto (impostos, comissões, taxas).

Para ficar mais fácil de entender, vamos a um exemplo prático:

Imagine uma empresa que negocia seu produto a um preço de venda de R$ 15, com um gasto variável de R$ 11. Como saber a porcentagem e o valor da margem de contribuição?

  1. Preço de Venda Unitário = R$ 15,00
  2. (-) Custo Variável Unitário = R$ 11,00
  3. (=) Margem de Contribuição Nominal = R$ 4,00
  4. Margem de Contribuição Percentual: 26,67%

Ou seja, para cada venda do produto em R$ 15, o lojista ganha, na verdade R$ 4,00. Ele utilizará então o valor da margem de contribuição de seu produto vendido para poder pagar contas da empresa e, então, retirar lucros da companhia.

venda_mais_com_olistMargem de contribuição aplicada aos marketplaces

A margem de contribuição também pode ser utilizada na sua estratégia de precificação para vender em marketplaces. Para isso, só é preciso reforçar a atenção aos custos de venda do produto.

Devem ser adicionados ao cálculo elementos como as comissões, valor do frete (caso seja pago pelo lojista), embalagem e demais fatores que gerem custo na operação de venda. Todos esses elementos estão ligados a venda do produto, ou seja, fazem parte do processo de formação de preços e impactam sua margem.

Para ficar mais claro, vamos a outro exemplo:

Exemplo – Produto sendo vendido nos marketplaces a R$ 50:

(-) Custo Unitário do Produto (Custo + Embalagem + Frete) = R$ 25,00

(+) Preço de Venda Unitário = R$ 50,00

(-) Impostos (Alíquota 4% do Simples) = R$ 2,00

(-) Taxa de Comissão Marketplace (15%) = R$ 7,50

(=) Margem de Contribuição = R$ 15,50

Margem de Contribuição Percentual = 31% 

Nesse exemplo, para cada venda do produto em R$ 50, o lojista está tendo um ganho bruto de R$ 15,50. Esse valor deverá custear as demais despesas da loja (instalações, funcionários, plataformas, etc) e só então gerar lucro.

Conclusão: não basta comprar barato e vender caro

Utilizar a margem de contribuição como estratégia para definir o preço de venda de um produto favorece o planejamento e a tomada de decisões na empresa. Sem conhecê-la, a loja pode cair em uma situação em que são feitas muitas vendas, mas há prejuízo.

No longo prazo, a margem de contribuição garante a cobertura dos custos fixos e a geração de lucro, favorecendo o atingimento do ponto de equilíbrio financeiro.

Se você ainda não utiliza essa técnica, o primeiro passo é listar todos os custos do seu negócio e identificar quais são fixos e quais são variáveis. Depois, defina a margem esperada e avalie qual é o preço final.

Para simplificar ainda mais essa gestão , existem empresas como a Preço Certo que auxiliam no processo de formação de preços e análise de indicadores financeiros para seu negócio.

 

Autor do texto: Rodrigo Forny. É apaixonado por marketing e vendas. Diretor de marketing do Preço Certo, uma plataforma com mais de 2000 empresas que oferece uma solução para gestão e formação de preços com análise de indicadores financeiros. Assim, você pode tomar melhores decisões e lucrar mais no processo de formação de preços da sua loja.


+ Nenhum comentário

Adicione o seu