Marketplace: a solução para pequenas e médias empresas venderem mais pela internet


Marketplace: a solução para pequenas e médias empresas venderem mais pela internet

A internet ainda parece um campo árido para pequenos e médios comércios venderem produtos. A crença em alguns mitos que cercam este meio, como a complexidade de operação ou o baixo retorno em vendas, levam muitos lojistas a não considerarem o potencial do comércio eletrônico para ampliar o negócio.

Na prática, contudo, essa perspectiva pode mudar muito conforme o canal de venda escolhido pelo comerciante. Os marketplaces, por exemplo, tem gerado resultados altamente positivos para pequenas e médias empresas (MPEs).

Para provar isso, listamos abaixo alguns motivos que mostram as vantagens para MPEs apostarem nos marketplaces para vender mais:

Marketplaces são acessíveis

Vender em um marketplace custa muito menos do que investir em na estruturação de uma loja física ou e-commerce próprio. Basta que o lojista cumpra requisitos como: profundidade de estoque, empresa formalizada e preços competitivos para conquistar vendas nas grandes redes varejistas.

contrate o olist agora mesmo

Os custos de manutenção dessa operação de venda também são mais baixos, já que não há gastos com infraestrutura (servidores, domínio, etc), marketing (divulgação em redes sociais, buscadores e mídia offline) e segurança (sistemas antifraude e certificações).

O comerciante só tem despesas quando há vendas concretizadas, o que reduz consideravelmente as barreiras de entrada e o risco de prejuízos.

Marketplaces são democráticos

Os marketplaces não trabalham com exclusividade de produtos, permitindo que qualquer lojista anuncie seus produtos, independente da concorrência.

Quando há mais de um fornecedor para o mesmo produto, ambos dividem a mesma página de anúncio, sendo diferenciados apenas pela buy box.

Neste caso, a meritocracia impera. Aquele que oferecer o melhor conjunto de atributos (preço, agilidade na entrega, boa reputação, etc) fica com o destaque. Muitas vezes o lojista pode inclusive vencer a disputa com a própria rede varejista, confirmando que se trata de um modelo altamente democrático.

Marketplaces geram vendas

banner-blog6_2Neste caso o exemplo fala mais do que os argumentos. O case de sucesso das Lojas Bonanza, apresentado aqui no blog, mostra como uma empresa familiar, sediada no interior, conseguiu lucrar com os marketplaces. Em apenas três meses o volume de pedidos saltou mais de 500%.

O elevado volume de acessos associado ao aumento da abrangência geográfica criam uma combinação favorável para alavancar o desempenho das vendas online por meio dos marketplaces. Esse crescimento dificilmente seria alcançado nas mesmas proporções em uma operação independente.

Marketplaces são tendência

A 3ª Pesquisa Nacional do E-commerce, feita pelo E-commerce Brasil e o Sebrae, coletou a opinião de quase 3 mil lojistas e verificou que 24% deles já anunciam produtos nos marketplaces. Outros 38% pretendem utilizar este canal de venda nos próximos 2 anos. Isso indica que cada vez mais comerciantes têm considerado o uso deste canal de venda.

O mesmo estudo indica que pequenas e médias empresas são maioria neste mercado (90%). Os microempreendedores individuais (MEIs) representam 45% do total de vendedores online.

Conclusão

Os motivos acima deixam claro que os marketplaces são o canal de venda ideal para pequenas e médias empresas conquistarem mais clientes aproveitando o potencial da internet.

E com o Olist as vantagens são ainda maiores. O lojista não perde tempo com burocracia e tem acesso a uma série de recursos que descomplicam o processo de venda nos marketplaces. Além disso, a plataforma agrega pequenos negócios para que, juntos, eles fiquem mais fortes.

Ainda tem dúvidas sobre como a microempresas podem aproveitar o potencial dos marketplaces? Comente abaixo!


 

Categories

+ Nenhum comentário

Adicione o seu