O guia COMPLETO para lucrar com a Copa do Mundo no e-commerce


O guia COMPLETO para lucrar com a Copa do Mundo no e-commerce
5 (100%) 5 votos

O guia COMPLETO para lucrar com a Copa do Mundo no e-commerce

Quando o assunto é comércio, as datas comemorativas são extremamente importantes. Natal, Dia das Mães, Páscoa… Seja qual for a temática, a oportunidade de lucro é alta. O destaque é ainda maior para eventos que não acontecem todos os anos, como a Copa do Mundo. Mais do que paixão nacional, a competição esportiva fomenta oportunidades de negócio e gera um impacto econômico representativo.

Neste ano, o Mundial será sediado na Rússia e está previsto para acontecer entre os dias 14 de junho e 15 de julho. Como restam menos de três meses para o início do evento, é importante se planejar para atender à demanda e aproveitar o mercado aquecido. Neste post, você confere dicas de como emplacar as vendas e fazer bonito na Copa 2018.

Contrate o olist agora mesmo

Entenda o potencial de negócios da Copa

De acordo com a FIFA, a Copa de 2014, realizada no Brasil, teve um total de 3,2 bilhões de espectadores em todo o planeta. Deles, 280 milhões assistiram aos jogos pela internet. Isso significa que, cada vez mais, o público tem marcado presença no ambiente digital.

A 30ª edição do relatório Webshoppers fez um levantamento dos produtos mais vendidos no comércio eletrônico no Brasil durante a última Copa do Mundo. A pesquisa foi realizada em abril de 2014 e avaliou compras relacionadas ao Mundial realizadas nos seis meses anteriores ao evento. Os cinco itens com maior número de vendas foram: camiseta, smartphone, celular, TV e tablet.

Parte dos R$ 16 bilhões faturados pelo e-commerce brasileiro no primeiro semestre de 2014 também tem origem na venda de artigos com o “apelo” da Copa do Mundo. Deles, os mais procurados no canal online foram: smartphone, GPS com TV, câmera digital, celular, tablet, e games de futebol.

Isso deixa claro que o e-commerce é um grande aliado para os lojistas venderem mais. Além da facilidade na compra, as lojas online oferecem grande diversidade de produtos e, de maneira geral, oferecem preços mais baixos do que nos estabelecimentos físicos.

Produtos com bom potencial de venda

É impossível pensar em Copa do Mundo e não lembrar de vuvuzelas, roupas coloridas e acessórios divertidos, não é mesmo? Investir em mercadorias personalizadas, com cores e logos criativos, traz bons resultados aos vendedores. Oferecer exclusividade seja no design dos produtos, na variedade de mercadorias ou até no prazo de entrega é uma técnica efetiva para conquistar audiência e fidelizar o público.

Nesse quesito, a imaginação é um diferencial. Identifique quais são as tendências de varejo para a Copa do Mundo e, a partir disso, crie produtos únicos para o seu público. Para inspirar, aí vão algumas dicas de itens que costumam bombar durante o Mundial:

  • Artigos esportivos (camisas, bolas, chuteiras, luvas de goleiro…);
  • Álbum de figurinhas;
  • Camisetas e bonés personalizadas;
  • Bottons;
  • Apitos, bandeiras, vuvuzelas;
  • Maquiagem especial e unhas decorativas;
  • Spray para pintar o cabelo;
  • Bebidas.

E lembre-se: nem todo mundo que mora no Brasil torce para a seleção brasileira. Por isso, vender produtos voltados a outras nacionalidades pode ser interessante e lucrativo. Avalie os prós e contras de investir em mercados de nicho e decida se vale a pena ou não segmentar a produção.

Montar kits de produtos ou oferecer brindes é outra boa estratégia. Ofereça vantagens como frete grátis, desconto ou presentes. Esse tipo de ação cativa o cliente e ainda fortalece a imagem da empresa perante o público.

kit sucesso 2018

Indo além de itens festivos e esportivos

A Copa é muito mais do que acessórios e artigos esportivos. Imagine o seguinte cenário: uma pessoa pretende reunir a família e os amigos em casa para assistir aos jogos. Além de comprar camisetas, bonés e outros adornos, ela possivelmente irá investir em uma televisão de melhor resolução ou em um som super potente. Há quem prefira um sofá novo ou até um frigobar recheado de cervejas.

Em geral, eletrônicos e eletrodomésticos costumam ser bastante comercializados nesse período. Isso é comprovado por números da GfK: a consultoria afirma que a Copa do Mundo deve contribuir para um aumento de 22% na venda de televisores neste ano, no Brasil.

Nesse caso, aumentam não só as vendas, mas também o valor das compras, já que há um investimento maior em produtos com maior ticket médio. Um levantamento da consultoria McKinsey confirma essa tendência ao apontar que as cervejas de categoria premium, mais sofisticadas, ganharam espaço e hoje correspondem a 13% do mercado.

Tenha atenção ao usar símbolos oficiais

Já está claro que a Copa é uma ótima oportunidade comercial, mas é preciso ser extremamente cauteloso quanto ao licenciamento de marcas. O uso incorreto de símbolos oficiais, como o logotipo da FIFA, pode gerar muitos problemas. A entidade já abriu inúmeras ações judiciais relacionadas à violação de direitos autorais e à importação e venda de produtos falsificados.

Para lidar com essa situação, os lojistas têm duas opções. A primeira delas é comercializar produtos que não remetam diretamente à Copa do Mundo ou à FIFA. Os vendedores não podem usar o mascote oficial, símbolos, emblemas e até a identidade visual do campeonato. Também não devem empregar o termo “Copa do Mundo” e afins nos artigos comercializados.

Já a segunda alternativa é fazer o licenciamento da marca, que autoriza o uso de determinados produtos e serviços. O contrato prevê, entre outras condições, que os licenciados paguem aos licenciadores um percentual sobre as vendas de produto, os chamados royalties. Conforme a Associação Brasileira de Licenciamento (ABRAL), os segmentos que mais costumam utilizar esse recurso são os de confecção, papelaria e brinquedos. Micro e pequenas empresas também podem solicitar licenciamentos.

Para obter essa autorização, é preciso cumprir os requisitos exigidos. Alguns deles são os seguintes:

  • Dispor de capacidade produtiva: produzir e colocar um bom volume de itens à venda no espaço de tempo previsto;
  • Oferecer produtos variados: ter mais de uma opção de mercadoria, com variação de cores, tamanhos, valores etc.;
  • Ter boa relação entre qualidade e preço justo: os valores devem ser competitivos e condizentes às características dos produtos;
  • Assegurar a segurança do consumidor: respeitar os requisitos mínimos de segurança previstos pelo Inmetro e demais órgãos relacionados;
  • Alcançar um público amplo: não segmentar demais a produção.

Por isso, antes de se tornar um licenciado, avalie o custo-benefício do serviço e pondere se ele se adapta ao seu plano de negócio. Para mais informações sobre licenciamento, entre em contato com o Sebrae ou a ABRAL.

Dicas finais para aumentar as vendas

Um item que merece muita atenção para o sucesso em vendas diz respeito ao estoque. O ideal é prepará-lo com antecedência para atender à grande demanda de mercadorias relacionadas à Copa do Mundo. Uma quantidade mínima de 5 unidades em estoque já reduz o risco de ruptura no período. Para isso, você já deve começar a fazer os pedidos aos fornecedores.

No caso de artigos customizados sob encomenda, deixe todo o processo logístico programado. Além de evitar transtornos na etapa da produção, o planejamento também garante a qualidade das entregas, que devem ser feitas o mais rápido possível e sempre dentro do prazo. Com tudo isso em ordem, a satisfação do cliente será garantida.

Por fim, invista na divulgação dos seus produtos. Marque presença nos principais e-commerces e marketplaces brasileiros e, com isso, alcance públicos de diversas regiões do país. Quanto mais pessoas forem atingidas pela sua marca, mais chances de seus produtos saírem na frente das ofertas concorrentes.

Para isso, fique de olho nas campanhas promovidas pelas grandes lojas de varejo online. Os melhores produtos podem se tornar focos de campanha desses sites. Ou seja, os anúncios podem aparecer na home, na buy box ou até em newsletters do canal. Esse tipo de publicidade amplia ainda mais a abrangência dos seus produtos e maximiza as chances de conversão.

Conclusão: seu negócio pode lucrar muito mais na Copa!

Podemos resumir em 4 passos o caminho do sucesso para a Copa do Mundo:

Fique de olho na concorrência: o também chamado benchmarking permite que você compare preços, acompanhe o que outras empresas estão fazendo e se mantenha atualizado. Essa prática é importante para identificar tendências de mercado e criar novas estratégias comerciais.

Abuse da criatividade: crie artigos exclusivos para os torcedores e pense em estratégias de venda diferenciadas, como kits de produtos e vantagens financeiras. Como explicamos neste post, o mercado estará aquecido e as vendas tendem a aumentar em diversos setores, do esportivo ao de eletrônicos. Investir em mercados de nicho também pode ser bastante lucrativo. Só tome cuidado ao mencionar diretamente marcas como a FIFA.

Planeje-se: a Copa da Rússia está cada vez mais próxima. Por isso, já comece a definir os produtos que você quer comercializar e entre em contato com os fornecedores. Também dedique atenção redobrada ao estoque, que deve ser apropriado para atender à demanda dos torcedores.

Marque presença nos e-commerces: a internet amplia consideravelmente o alcance da sua marca e facilita a jornada do comprador. Se você já tem um estabelecimento físico, estar em uma loja virtual ou em um marketplace é ainda mais benéfico, já que o cliente terá acesso ao seu produto por mais de um canal. Por isso, vender online é muito indicado para quem deseja começar a comercializar produtos ou ampliar os lucros.

Cumprindo esse checklist, suas chances de emplacar as vendas durante a Copa do Mundo serão ainda maiores.

Você já está preparado para a Copa da Rússia, lojista? Compartilhe com a gente nos comentários!


 

+ Nenhum comentário

Adicione o seu