B2C, B2B, B2E, B2G, B2B2C, C2C e D2C: o que é e qual a diferença entre eles?


B2C, B2B, B2E, B2G, B2B2C, C2C e D2C: o que é e qual a diferença entre eles?
5 (100%) 12 votos

B2C, B2B, B2E, B2G, B2B2C, C2C e D2C: o que é e qual a diferença entre eles?

No mundo dos negócios é inevitável se deparar com siglas e termos técnicos. Por exemplo, você já ouviu falar em B2C (Business to Consumer) e B2B (Business to Business), certo? Esses são os termos mais utilizados para descrever a forma como empresas e consumidores se relacionam.

O que nem todo mundo sabe é que existe uma variedade de outras siglas que também são adotadas nesse contexto. E mais: elas não se limitam ao varejo físico. Alguns destes termos vêm sendo cada vez mais utilizados para definir diferentes tipos de negócio no e-commerce.

Neste post, você poderá conferir o significado dos principais conceitos e, ainda, entender a diferença entre eles.

Está sem tempo? Que tal ouvir este post?

B2C (Business to Consumer)

Este é o tipo de transação mais comum, realizado entre uma empresa e o cliente final. É um modelo encontrado com frequência em lojas de varejo que vendem produtos diretamente ao consumidor, sem precisar de intermediários na relação. Quando o cliente compra um produto de um e-commerce ou loja física, essa transação é caracterizada como uma operação de consumo, ou seja, B2C.

contrate o olist agora mesmo

B2B (Business to Business)

Diferentemente da relação B2C, o B2B não envolve o consumidor final, uma vez que a transação é realizada entre empresas. Muitas redes varejistas e prestadores de serviços precisam comprar produtos ou matérias-primas de terceiros (indústria e empresas fornecedoras), para só então repassar a mercadoria ou serviço ao consumidor.

Para exemplificar, imagine a relação entre montadoras de veículos e concessionárias: as concessionárias (varejo) compram os automóveis das montadoras (indústria) e só depois disso os veículos estarão à venda para o consumidor. Outro exemplo caracterizado como B2B é a relação entre o Olist e os lojistas parceiros que utilizam a nossa plataforma.

B2E (Business to Employee)

Esta relação define as transações comerciais entre empresas e funcionários. É similar à B2C, mas, nesse caso, o cliente final é o colaborador da empresa. O B2E acontece quando uma pessoa faz parte do quadro de funcionários de determinada companhia e decide adquirir os produtos ou serviços fornecidos por essa empregadora.

Normalmente, as empresas estabelecem algumas condições para esse tipo de transação como, por exemplo, desconto especial no valor do produto e prazo para realização da próxima compra. Para ficar ainda mais claro, imagine uma indústria que vende eletrodomésticos aos seus funcionários com 30% de desconto sobre o valor final, e uma cota máxima de três compras por mês.

planilha controle logísticoB2G (Business to Government)

As negociações entre empresas e governo são chamadas de B2G. Geralmente, esse tipo de relação passa por um processo de licitação (concorrência pública), como é o caso de montadoras de veículos que desejam fornecer frota de carros para a polícia, ou ainda empreiteiras que visam a construção de obras públicas (rodovias, escolas, etc).

B2B2C (Business to Business to Consumer)

O agrupamento das relações B2B e B2C dá origem à negociação B2B2C, que nada mais é do que a transação entre empresas visando uma venda para o cliente final. O formato de venda proposto pelos marketplaces é um exemplo perfeito, pois o lojista negocia seu produto por meio de um canal de venda terceiro (marketplace), buscando vender a mercadoria para o consumidor final.

Nesse modelo, todos os agentes envolvidos saem ganhando. O marketplace consegue obter receita sem necessidade de lidar com estoque, risco de crédito ou operação logística. O lojista parceiro garante maior exposição para os anúncios, ampliando as chances de venda. E o consumidor conta com uma variedade maior de produtos, bem como concorrência de preços.

C2C  (Consumer to Consumer)

A relação C2C acontece quando duas pessoas realizam uma transação comercial entre si. Pela internet, as negociações podem ser consolidadas de maneira informal, utilizando as redes sociais, por exemplo, ou ainda por meio de uma plataforma intermediadora, como é o caso do Mercado Livre. A plataforma atua tanto como um canal C2C (aproximando consumidores) como também no B2B2C (aproximando empresas e clientes).

D2C (Direct to Consumer)

Assim como no B2C, o D2C se refere à transação comercial entre empresas e cliente final. Mas, neste caso, o fornecedor é o próprio fabricante ou distribuidor, sem intermediários. Você já deve ter ouvido, por exemplo, a expressão “preço direto da fábrica”. Isso significa que a indústria (fábrica) vende o produto diretamente para o consumidor, o que acaba diminuindo o preço final da mercadoria. Esse formato é bastante utilizado nos setores de automóveis, eletrodomésticos, roupas e calçados.

Conclusão

O comércio se tornou muito mais complexo do que uma simples relação cliente-loja, portanto, os lojistas precisam se adaptar e buscar diferentes formas de vender. Somente assim será possível sobreviver em meio à crescente concorrência e fazer o negócio prosperar.

Uma boa estratégia para atuar nesses múltiplos formatos de venda é apostar no potencial dos marketplaces. Esse modelo de comércio serve tanto para empresas que queiram ampliar a abrangência das vendas (B2B2C), quanto indústrias e fornecedores que busquem aumentar o faturamento sem estruturar uma cadeia de distribuição (D2C).

B2C, B2B, B2E, B2G, B2B2C, C2C e D2C: o que é e qual a diferença entre eles?

Ainda tem dúvidas sobre os benefícios de se anunciar nos marketplaces? Então, confira este post que mostra 5 vantagens de se vender nos marketplaces.


Categories

+ Nenhum comentário

Adicione o seu