O que é D2C? Saiba como indústrias, importadores e franquias podem vender em marketplaces


O que é D2C? Saiba como indústrias, importadores e franquias podem vender em marketplaces
5 (100%) 11 votos

O que é D2C? Saiba como indústrias, importadores e franquias podem vender em marketplaces

O conceito de D2C (direct to consumer, em inglês) corresponde aos negócios como indústrias, franqueados, distribuidores ou importadores que fazem venda direta ao consumidor, sem contar com intermediários na cadeia de distribuição.

Durante muito tempo esse modelo foi considerado inviável para muitos negócios, por exigir um elevado custo na implementação e manutenção de uma estrutura varejista.

Em alguns casos, também havia o temor de que a venda para o consumidor final poderia prejudicar a relação com os principais clientes da empresa.

Entretanto, com a difusão da internet e a consolidação do comércio eletrônico, essa perspectiva mudou radicalmente.

Muitos negócios viram nas vendas online a alternativa perfeita para ampliar o faturamento e entrar no segmento varejista sem realizar investimentos de peso.

Isso se torna ainda mais fácil por meio dos marketplaces, já que o custo de implementação é muito menor, com potencial de ganhos de modo muito mais rápido e fácil.

Neste post você vai entender melhor isso. 

ESTÁ SEM TEMPO? QUE TAL OUVIR UMA NARRAÇÃO EM ÁUDIO DESTE POST?

contrate o olist agora mesmo

Vantagens da venda direta ao consumidor

Ao incorporar os marketplaces na estratégia de D2C a empresa torna-se altamente competitiva no mercado varejista.

Isso ocorre pois há uma redução drástica na quantidade de intermediários presentes na cadeia de venda. Em paralelo há ainda uma queda na tributação em cascata, permitindo um preço final menor.

E como as vendas são feitas pela internet, com uma estrutura já pronta, também não há despesas elevadas com a manutenção da plataforma e a divulgação dos itens.

Isso acontece pois as grandes redes varejistas já possuem sites prontos e com um volume substancial de acessos, ampliando muito as chances de conversão.

Por fim, estar próximo ao consumidor final permite a empresa testar novos tipos de produtos e mercados, entendendo com maior precisão a realidade de todos os agentes envolvidos na cadeia de vendas. 

Estratégias e desafios para a venda direta ao consumidor 

Apesar de vantajosa, a venda direta ao consumidor requer planejamento. Isso inclui desde aspectos burocráticos do negócio até a gestão de pedidos e vendas.

O primeiro passo é identificar se a empresa possui todos os documentos para vender nos marketplaces. Pode ser necessário criar um novo CNPJ ou realizar alterações no contrato social para dar início as vendas. Também é fundamental atentar ao aspecto contábil/tributário, que pode sofrer alterações.

O passo seguinte é contratar uma plataforma que garanta o suporte no acesso aos marketplaces, como é o caso do Olist. Um funcionário dedicado a essa tarefa pode fazer toda a diferença, já que será necessário produzir fotos e redigir títulos e descrições para os anúncios.

venda_mais_com_olist

Depois, é importante estabelecer uma política comercial que vai envolver desde o portfólio de produtos anunciados até os preços de venda que serão praticados.

Na sequência, é necessário criar uma infraestrutura para gestão do estoque e envio das mercadorias, garantindo que os produtos sejam despachados dentro do prazo adequado. Nesse caso será necessário atuar com lotes em menor quantidade e envios mais frequentes.

Outro ponto importante é a estruturação de uma interface para atendimento ao cliente (SAC) em casos de trocas, cancelamentos ou devoluções.

Também é recomendável informar aos demais varejistas que a empresa irá atuar nesse segmento.

É importante frisar os motivos para entrada nesse mercado, destacando que não se trata de concorrência extra. Para isso pode ser adotado um nome comercial distinto, por exemplo.

Ao final de cada ciclo é interessante avaliar os resultados de modo a identificar se o modelo de vendas vigente foi bem-sucedido e conseguiu gerar resultados positivos para indústria. 

Conclusão

Por meio dos marketplaces praticamente qualquer empresa pode praticar o direct to consumer sem grandes dificuldades ou riscos. O contato direto com os consumidores pode ser útil tanto como uma estratégia para ampliar o faturamento e também para entender melhor o mercado e testar novos produtos.

Entretanto, o ideal é que a empresa recorra a parceiros estratégicos para gerenciar essa etapa do negócio. Assim é possível manter essa operação sem perder o foco na atividade principal.

Ferramentas como o Olist permitem fazer isso de forma descomplicada, garantindo um acesso rápido aos canais de venda, com um potencial de ganhos elevadíssimo. Isso é possível pois além da expertise em vendas online, nossa equipe também oferece todo o suporte em termos de burocracia, gestão do negócio e atendimento ao cliente.


Ainda tem dúvidas sobre como funciona o D2C? Compartilhe com a gente nos comentários.

Este post em áudio:


2 Comentários

Adicione o seu

+ Deixe um Comentário