SEO para o e-commerce: como gerar mais tráfego para sua loja online


SEO para o e-commerce: como gerar mais tráfego para sua loja online
5 (100%) 2 votos

SEO para o e-commerce: como gerar mais tráfego para sua loja online

O sucesso de uma loja online não é conquistado apenas com a oferta de itens com preços competitivos, logística eficiente e qualidade no atendimento. Todos estes atributos precisam ser comunicados ao público, de modo a fazer com que o site do e-commerce seja facilmente localizado pelos consumidores na web.

Para isso, uma das estratégias mais eficientes que pode ser colocada em prática é a aposta no Search Engine Optimization (SEO). Esse conceito representa o conjunto de técnicas que podem ser adotadas para melhorar o posicionamento de determinado site nos mecanismos de busca, tais como Google, Bing e Yahoo.

Ao conquistar as primeiras posições nas páginas dos buscadores o site passa a receber naturalmente um volume maior de acessos, o que abre margem para gerar mais vendas. Por isso, essa prática é indispensável para qualquer comerciante que utiliza a internet como canal de venda.

Há diversas variáveis que envolvem o posicionamento de determinado site dentro dos buscadores, mas como algumas ações simples é possível melhorar substancialmente os resultados. Confira abaixo algumas dicas de como fazer isso:

Defina uma estratégia

O primeiro passo para incorporar ações de SEO ao dia a dia do negócio é definir um objetivo. É necessário selecionar um conjunto de palavras-chave alinhadas aos interesses da loja. Elas podem estar relacionadas aos produtos anunciados (exemplo: celular com tv digital), posicionamento da marca (loja de celulares em São Paulo) ou serviços oferecidos (loja de celulares com melhor garantia).

Também é importante definir em qual buscador estas estratégias estarão concentradas. O ideal é apostar no Google, que detém uma parcela significativa das buscas feitas em todo o país.

Proporção de acesso aos buscadores no Brasil:

  1. Google Brasil: 94,3%
  2. Google.com: 2%
  3. Bing: 1,7%
  4. Yahoo! Brasil: 1,1%
  5. Ask: 0,5%

Fonte: Serasa Experian

Melhore a descrição dos produtos

É muito raro que um produto vendido pela internet não possua concorrentes. Por essa razão, uma das melhores formas de se diferenciar é apresentar descrições relevantes e completas sobre os itens anunciados. Neste texto é importante acrescentar palavras-chave que representem o comportamento dos consumidores procurando este produto nos buscadores.

Isso, no entanto, deve ser feito de maneira natural e sem repetição exagerada dos termos, já que os buscadores detectam esse tipo de ação e desqualificam o posicionamento dos sites. Também é importante não fazer cópias de textos presentes em outros sites, sob risco de receber o mesmo tipo de punição.

contrate o olist agora mesmo

Utilize URLs amigáveis

Embora esse atributo não seja observado pela maioria dos consumidores, ele possui um peso importante para os buscadores. Na prática, essa é a diferença entre URLs amigáveis e não-amigáveis:

  • URL não amigável: www.loja.com.br/u54318f6
  • URL amigável: www.loja.com.br/tv-samsung-48-led

Os algoritmos do Google conseguem “ler” o conteúdo dessas URLs e isso se torna um fator de impacto no posicionamento do site.

É possível automatizar essa tarefa por meio da utilização de plugins, como o Yoast. Assim, ao criar a página e definir o título, a URL amigável será criada automaticamente.

Incorpore um design responsivo ao site

O número de usuários que permanece conectado via dispositivos móveis é crescente, e isso afeta diretamente o desempenho das lojas virtuais. Em 2015 45% das vendas do e-commerce foram realizadas por meio de tablets e celulares. Estima-se que mais de 60% dos acessos nestes sites é por meio deste tipo de dispositivo.

Acompanhando essa tendência, os algoritmos do Google estão priorizando sites responsivos, ou seja, que se adaptam a qualquer tamanho de tela. Se o site não foi construído neste formato será muito mais difícil conquistar uma boa posição no ranking do buscador.

Crie links internos kit de listas olist

Os algoritmos do Google conseguem avaliar não apenas os atributos técnicos de um site, mas também o
comportamento dos usuários
. Se um usuário entra em um site e sai rapidamente ou se ele não navega por mais de uma página, isso indica falta de relevância para o site. Isso também afeta o ranqueamento do e-commerce nos buscadores.

Para ampliar o tempo de acesso dos usuários, uma boa estratégia é apostar em links internos. Eles nada mais são do que referências para outros conteúdos ou produtos dentro do mesmo site. Uma boa maneira de fazer isso é inserir na página do anúncio destaques como produtos similares, itens mais vendidos e os mais procurados.

Isso ajuda a manter o consumidor por mais tempo dentro do site e favorece o posicionamento no Google.

exemplo de link interno no e-commerce

Utilize canais otimizados

O lojista nem sempre possui recursos, tempo ou conhecimento para colocar em prática todas as estratégias de SEO que garantam um bom desempenho ao e-commerce. Neste caso, a melhor opção é anunciar os produtos em canais de venda já consolidados, como os marketplaces.

Ao utilizar os sites das grandes redes varejistas o comerciante terá à disposição uma estrutura já pronta e otimizada para conquistar os melhores resultados nos buscadores. O volume de acessos destes sites também é significativo, dispensando o esforço de geração de tráfego para o e-commerce próprio.

Conclusão

Não basta oferecer um bom serviço se os usuários não conseguem encontrar sua loja virtual. Por essa razão, o SEO precisa fazer parte da estratégia do negócio, sendo colocado em prática constantemente. Isso ajuda a ampliar a relevância do negócio e auxilia a conquistar mais clientes e vendas. Com algumas ações simples é possível obter bons resultados em um curto período de tempo. Este post do blog do Mercado Binário traz mais exemplos de erros comuns de SEO que devem ser evitados.

O SEO também pode ser aplicado dentro do e-commerce, para melhorar o posicionamento de um produto nos buscadores dos marketplaces. Mas isso é assunto para outro post.

Ainda restou alguma dúvida? Compartilhe-a nos comentários!



Categories

+ Nenhum comentário

Adicione o seu